Publicidade
Você está aqui: Inicial Notícias Mundo Do “sí!” ao provável penta: veja a saga de Cristiano Ronaldo para alcançar Messi

Do “sí!” ao provável penta: veja a saga de Cristiano Ronaldo para alcançar Messi

PDFImprimirE-mail

Noticias - Mundo

Em janeiro de 2015, Cristiano Ronaldo subiu ao palco do Kongresshaus, em Zurique, para receber o seu terceiro prêmio de melhor jogador do mundo. No discurso, externou o objetivo de alcançar Messi, até então quatro vezes eleito.

- Não é algo que me tire o sono, mas eu tenho esta ambição – disse à época.

Ao que tudo indica, este dia enfim chegou, Cristiano.

O craque do Real Madrid é o grande favorito ao “penta” no Fifa The Best, que pela primeira vez levará em consideração toda a temporada europeia – neste caso, de agosto de 2016 a julho de 2017 –, e não mais o ano corrido.

+ Para Totti, CR7 é favorito: "Acima dos outros"

Ele concorre com Messi, vencedor em cinco oportunidades pelo Barcelona, e Neymar, terceiro em 2015, e que em agosto mudou-se para o Paris Saint-Germain.

Contam a favor de Cristiano Ronaldo os dois títulos mais importantes possíveis (Campeonato Espanhol e Liga dos Campeões), além de ter sido fundamental na reta final das duas conquistas. Ele terminou a temporada com 60 gols em 60 jogos, incluindo compromissos pela seleção portuguesa.

Messi esteve à altura em nível de exibições e números: anotou 60 gols em 61 partidas por Barcelona e Argentina, mas a falta de um troféu mais pesado que a Copa do Rei deverá ser determinante.

Praticamente o mesmo raciocínio vale para Neymar, que ganhou o ouro olímpico com a seleção brasileira, mas produziu muito menos: 30 gols em 62 jogos. O astro do Paris Saint-Germain é o azarão.

A noite no London Palladium, na capital inglesa, também vai conhecer a melhor jogadora (a venezuelana Deyna Castellanos, a americana Carli Lloyd e a holandesa Lieke Martens são as finalistas) e premiará outras categorias como:

  • Melhor goleiro (Buffon, Navas ou Neuer)
  • Melhor treinador masculino (Allegri, Conte ou Zidane)
  • Melhor treinador feminino (Precheur, Wiegman ou Nielsen)
  • Puskás (Castellanos, Giroud ou Masuluke)
  • Melhor torcida (Borussia Dortmund, Celtic ou Copenhague)
  • Seleção do ano
  • Fonte: G1
Publicidade
Banner
Publicidade

Galeria

dsc_0683
dsc_0680
dsc_0677
dsc_0671
dsc_0670
dsc_0667