Publicidade
Você está aqui: Inicial Notícias Cidades Lei municipal obriga bancos a reforçarem segurança em Formiga

Lei municipal obriga bancos a reforçarem segurança em Formiga

PDFImprimirE-mail

Noticias - Cidades

A Prefeitura de Formiga, na região Centro-Oeste de Minas, sancionou e publicou a Lei Nº. 5208 de 2017 que obriga as instituições bancárias públicas ou privadas e as cooperativas de crédito localizadas no município a contratar vigilância armada para atuar 24 horas por dia,

inclusive em finais de semana e feriados, além de outras providências. As instituições serão notificadas e têm prazo de 90 dias para se adequarem.

De acordo com o chefe de gabinete do executivo municipal, Thiago Leão Pinheiro, a Lei é de autoria do Legislativo proposta pelo vereador Cabo Cunha  e foi sancionada pela Prefeitura. Haverá um prazo para regulamentação e, provavelmente, o Procon municipal irá fiscalizar as novas exigências.

Ainda de acordo com o Pinheiro, será enviado um ofício as 10 instituições financeiras de Formiga e após isso, segundo a Lei, os bancos terão 90 dias para se adequarem às novas exigências.

De acordo com a Lei, as instituições bancárias públicas ou privadas e as cooperativas de crédito localizadas no município estão obrigadas a contratar vigilância armada para atuar 24 horas por dia, inclusive em finais de semana e feriados.

Os vigilantes deverão permanecer no interior da instituição bancária ou da cooperativa de crédito em local que possam se proteger durante a jornada de trabalho e dispor de botão de pânico e terminal telefônico, para acionar rapidamente a polícia. Devem contar, também, com dispositivo que acione sirene de alto volume no lado externo do estabelecimento para chamar a atenção de transeuntes e afastar ‘delinquentes’ de forma preventiva.

Além disso, as instituições bancárias e as cooperativas de crédito são obrigadas a instalar escudo de proteção ou cabine para vigilantes, câmeras de circuito interno para gravação de imagens em todos os acessos destinados ao público, entradas e saídas e lugares estratégicos, dos quais se possa monitorar movimentação de pessoas em seu interior. As câmeras também devem ser instaladas na parte externa frontal dos estabelecimentos

O descumprimento da Lei pode gerar advertência, aplicada na primeira incidência, devendo o banco sanar a irregularidade em até 10 dias úteis. Caso não seja cumprida, haverá multa e após 30 dias, caso o problema não seja sanado, a instituição poderá ser interditada.

O G1 entrou em contato com a Associação de Bancos do Estado de Minas Gerais que informou ainda não estar ciente da norma e se posicionará tão breve se inteirar da situação.

Explosões

Um grupo armado explodiu caixas eletrônicos de duas agências bancárias há dois meses em Formiga. Seis suspeitos realizaram o ataque e fugiram com o dinheiro dos caixas. Em dezembro de 2016 e junho de 2015 também foram registradas ocorrências de explosão de caixas eletrônicos.

Fonte: G1

Publicidade
Banner
Publicidade

Galeria

dsc_0683
dsc_0680
dsc_0677
dsc_0671
dsc_0670
dsc_0667